in

General Joaquim Xavier Curado, um grande pirenopolino

Igreja Matriz de Pirenópolis, local do batismo de Xavier Curado

Dentre os tantos nomes grandiosos que nasceram em Pirenópolis, está entre os de maior destaque o General Joaquim Xavier Curado (Pirenópolis, 2.12.1746 – Rio de Janeiro, 15.9.1830), primeiro e único barão com grandeza e conde de São João das Duas Barras.

Nasceu o General Curado na Fazenda Santa Rita, distante 18 quilômetros de Meia Ponte (nome da época), onde seu pai era juiz ordinário, e foi batizado na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, 10 dias depois. (1)
Sua biografia é muito rica em detalhes. Ele foi grande militar e administrador público que muito engrandeceu o Brasil.
General Joaquim Xavier Curado
O renomado escritor Bernardo Élis nos ensina: “Também em Meia Ponte aportou o jovem Tenente José Gomes Curado, português, homem de certa cultura, educado, que em 1750 era juiz ordinário no Julgado. Com ele se casou, em 1740, a moça Maria Cerqueira de Assunção, segunda filha do Tenente-Coronel Costa Abreu, que foi morar no solar que o marido construiu na fazenda ‘Santa Rita’, a 3 léguas da Vila, onde possuía grande casa residencial, com senzalas e casa de engenho. Os escombros provam as dimensões afidalgadas do estabelecimento rural. Aí nasceram seus filhos:
     Ana Timótea (20-VIII-1741)
     JOAQUIM XAVIER CURADO (2-XII-1746/15-IX-1830)
     Francisco Xavier Curado (20-IV-1750)
     Feliciana Antônia Curado (20-V-1752/12-V-1811)
     Maria Josefa Curado (3-V-1754/3-IX-1806)” (2)
Estátua de Xavier Curado em Ipameri/GO
no 41º Batalhão do Exército
     E para completar, publicamos seu termo de batismo, com a ortografia da época:
“Aos doze de Dezembro de mil sette centos e quarenta e seis, nesta Matriz
de Nossa Senhora do Rozario da Meiaponte Comarca de Goyaz, baptizou
epoz os Santos Oleos o Reverendo Coadjutor Manoel Pereyra de Souza a
Joachim, innocente tendo nascido aos dous do mesmo mez, filho
legitimo de José Gomes Curado e de sua mulher Dona Maria Pinheiro de
Serqueira da Assumpção moradores nesta Freguesia, nepto pella parte
paterna do Tenente Coronel Clemente da Costa e Abreu e Dona Maria
Pinheiro de Serqueira, e pella parte materna, Digo, nepto pella
parterna de Manoel Martins e de sua mulher Maria Gomes, moradores que
forão, e naturaes do lugar Quintan termo da Villa de Certan,
Priorado do Crato, e pella materna do Tenente Coronel Clemente da
Costa e Abreu natural da cidade de Lisboa, e baptizado na Freguezia
de Nossa Senhora do Socorro e de Dona Maria Pinheiro natural da Villa
de Outu do Bispado de San Paulo e na mesma Freguezia baptizada e
forão padrinhos os mesmos avos maternos e para constar fiz este
assento, dia, era ut supra. O Vigario Manoel Nunes Colares da Motta” (3)
Fonte:
(1) JAYME, Jarbas. Cinco vultos meiapontenses. Goiânia, Edição Revista Genealógica de São Paulo. 1943
(2) ÉLIS, Bernardo. Coleção Alma de Goiás. Rio de Janeiro: José Olímpio Editora. Vol. 5, p. 15
(3) Livro de Batistério da Matriz de Pirenópolis, de 1732 a 1747, fls. 25, “in”: JAYME, Jarbas, Rio Bonito, Famílias Pirenopolinas (Ensaios Genealógicos) – Volume I, p. 167, Goiânia: 1973

9 Comments

Leave a Reply
  1. Adriano, parabéns pelo texto. O General Curado, como grande pirenopolino que é, merece sempre ser lembrado e ovacionado, para que sua memória não se apague jamais.

  2. O grande General Joaquim Xavier Curado nasceu em Pirenópolis, quando ainda se chamava Meia Ponte, e de lá partiu para prestar relevantes serviços ao Brasil.

    Essa sua postagem foi muito feliz ao abordar esse vulto ímpar da história imperial brasileira, exaltando assim os feitos de um pirenopolino digno de nota.

    Meus parabéns, caro historiador.

  3. Imagine a dificuldade que esse Xavier Curado teve para sair de Pirenópolis, onde nasceu, e no século 19 chegar ao Rio de Janeiro e se tornar um soldado do Império.

    Adriano, você que é escritor e tem talento, conte em forma de romance a vida desse homem tão valoroso.

  4. Também no livro de Bernardo Élis consta que o General Xavier Curado foi o fundador do Exército Brasileiro, nobre brasileiro, exemplo de dignidade e amor à Patria. Filho ilustre de Pirenópolis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O alfenim na Festa do Divino